Sumário

 

Dedicatória, 5

 

Prefácio, 7

 

Apresentação, 9

 

Introdução, 17

Aspectos Metodologicos, 24

 

Contextualização, 30

1 Transgenicos e nocoes basicas de biologia, 30

1.1 Celulas, proteinas, genoma e regulacao genica, 30

1.2 De onde vem a diversidade de proteinas e como elas sao produzidas para desenvolver determinadas e tao distintas funcoes?, 31

1.3 Regulacao genica, 33

2 Organismos geneticamente modificados e plantas transgenicas alimentares: debates distintos, 34

3 Plantas transgenicas e avaliacao de risco: contexto internacional e brasileiro, 37

 

Parte 1

Efeitos imprevisíveis e não intencionais da transgenia

1. Genoma, epigenoma e expressão gênica, 41

1.1 O conceito de gene em constante evolucao, 41

1.2 Omissao da epigenetica na concepcao da transgenia, 49

2 Resposta do organismo geneticamente modificado à transgenia, 54

2.1 A imprecisao da tecnologia de insercao do transgene resulta em modificacoes importantes no genoma do organismo transformado, 54

2.2 Instabilidade do transgene – e da sua expressao – apos insercao, 62

2.2.1 A instabilidade do transgene por fatores internos , 64

2.2.2 A instabilidade do transgene por interacoes com fatores ambientais, 67

2.3 Diversidade de efeitos inesperados na expressao genica, no metaboloma ou no proteoma do organismo transformado , 73

2.4 Eventos piramidados: rumo ao reducionismo cientifico, 85

3. Recombinações genéticas interespecíficas e escape de transgenes, 89

3.1 Transferencia horizontal de genes (THG): revolucao do conhecimento cientifico, 90

3.2 Preocupacoes especificas com o promotor P35S CaMv, 93

3.3 Riscos associados ao uso de Agrobacterium tumefaciens em plantas transgenicas, 101

 

Parte 2

Questões agronômicas relativas ao cultivo de plantas transgênicas  

1 Produtividade, custo de produção e uso de agrotóxicos em lavouras de plantas transgênicas comerciais, 105

2 Baixa eficiência das plantas transgênicas no manejo de pragas e doenças , 109

2.1 Desenvolvimento de populacoes de insetos resistentes as principais proteinas Bt, 111

2.1.1 Alto potencial de desenvolvimento de populacoes resistentes as toxinas Bt (observacoes em bioensaios), 112

2.1.2 Casos de populacoes de insetos resistentes as toxinas Bt observados no campo, 115

2.1.3 Baixa eficacia das estrategias de manutencao da vida util da tecnologia Bt, 123

2.2 Populacoes de ervas ruderais que desenvolvem resistencia genetica aos principais herbicidas usados em lavouras TH, 134

2.2.1 Resistencia aos herbicidas a base de glifosato, 137

2.2.2 Resistencia aos herbicidas a base de 2,4-D, 140

2.2.3 Resistencia aos herbicidas a base de Glufosinato de Amonio (GA), 141

2.3 Ineficiencia das tecnologias de resistencia a virus, 141

3 Problemas agronômicos não esperados associados ao cultivo de plantas transgênicas, 146

3.1 Danos agronomicos por pragas secundarias e/ou potenciais em

lavouras Bt, 146

3.2 Danos agronomicos pelo uso intensivo dos herbicidas associados as plantas TH, 152

3.2.1 Impactos negativos do glifosato sobre a produtividade de plantas TH, 153

3.2.2 Danos agronomicos em lavouras adjacentes e/ou subsequentes, 160

3.3 Disseminacao transgenica no agrossistema: quando a tecnologia e uma praga , 162

4 A impossível coexistência, 168

4.1 Contaminacao de cultivos nao GM por GM, via polinizacao, 170

4.2 Disseminacao de transgenes por meio de populacoes ferais , 172

4.3 Contaminacao de lavouras convencionais subsequentes ao plantio de variedades transgenicas, 177

4.4 Contaminacao ao longo da cadeia agroalimentar, 178

 

Parte 3

Riscos para o meio ambiente associados ao cultivo e/ou uso de plantas transgênicas

1 Riscos para o meio ambiente associados ao uso de plantas Bt, 183

1.1 A especificidade molecular e o modo de acao das proteinas Bt ainda não sao totalmente compreendidos, 183

1.2 Impactos negativos da tecnologia Bt sobre Organismos Nao Alvo (ONAs), 190

1.2.1 Efeitos negativos em ONAs que se alimentam diretamente de material vegetal Bt, 192

1.2.2 Efeitos negativos em ONAs que consomem indiretamente material vegetal Bt (por meio das cadeias troficas), 202

1.3 Dispersao e persistencia das proteinas Bt no meio ambiente e desequilibrios por elas causados nas comunidades da microbiota do solo, 208

1.3.1 Disseminacao e persistencia das toxinas Bt nas cadeias troficas, 209

1.3.2 Disseminacao e persistencia das toxinas Bt no meio ambiente (solo e agua), 212

1.3.3 Desequilibrios observados em comunidades do solo afetadas pela pressao de cultivos Bt, 219

2 Riscos para o meio ambiente associados ao uso de plantas tolerantes a herbicidas (tecnologia TH), 226

2.1 Impactos negativos especificos dos principais herbicidas associados ao cultivo de PGMs TH, 227

2.1.1 Glifosato e formulas comerciais a base de glifosato, 227

2.1.2 Herbicidas a base de glufosinato de amonio, 246

2.1.3 Herbicidas a base de 2,4-D, 249

2.2 Impactos negativos das lavouras de plantas TH sobre a biodiversidade , 252

2.2.1 Animais afetados pelas tecnologias de PGMs TH, 253

2.2.2 Vegetais (nao alvo) afetados pelas tecnologias de PGMs TH, 257

3 Riscos de disseminação/contaminação transgênica em espécies não agrícolas, 260

3.1 Fluxo genico por polinizacao, 261

3.2 Desequilibrios ecologicos com disseminacao de transgenes em espécies silvestres, 263

3.3. Fluxo genico por transferencia horizontal de genes (THG), 266

 

Parte 4

Riscos para a saúde associados ao cultivo e/ou uso de plantas transgênicas

1 Riscos para a saúde associados ao uso de plantas Bt, 282

1.1 Possibilidades de interacao entre proteinas Bt e celulas de mamiferos, 282

1.2 O destino das proteinas Bt (no organismo dos seres que as ingerem), 284

1.3 O potencial alergenico das plantas Bt, 286

1.4 Riscos toxicologicos associados ao consumo de plantas Bt, 292

2 Riscos para a saúde associados ao uso de plantas Tolerantes a Herbicidas, 296

2.1 Impactos negativos especificos relacionados aos principais herbicidas associados ao cultivo de plantas transgenicas do tipo TH, 296

2.1.1 O principio ativo glifosato e seu principal metabolito de degradacao (o acido aminometilfosfonico – AMPA), 307

2.1.2 Formulas comerciais de herbicidas a base de glifosato, 311

2.1.3 Herbicidas a base de glufosinato de amonio, 331

2.1.4 Herbicidas a base de 2,4-D, 333

2.2 Perturbacoes metabolicas diversas e/ou aspectos de toxicidade relacionados ao consumo de plantas TH (em comparacao a controles nao GM), 347

2.2.1 Soja tolerante aos herbicidas a base de glifosato, 347

2.2.2 Milho tolerante a herbicidas a base de glifosato, 351

3 Outras plantas transgênicas em fase de avaliação ou com comercialização suspensa, 355

4 Riscos associados ao consumo de transgenes e de pequenos RNA não codificadores (sRNAs/ncRNA), 358

4.1 Sobrevivencia de (trans)gene a digestao e sua circulacao no sangue, 358

4.2 Possibilidade de transferencia horizontal de (trans)genes em células de mamiferos ou em micro-organismos simbiontes (bacterias do sistema digestivo e/ou da cavidade bucal em especial), 365

4.3 Alteracoes nao desejadas da expressao genica por meio de pequenos RNA nao codificadores (ncRNA/sRNAs), 370

 

Parte 5

Polêmicas científicas e críticas ao processo de análise do risco das plantas transgênicas

1 Críticas às “bases científicas” da avaliação do risco, 380

2 Falta de rigor científico na avaliação do risco para a saúde, 386

2.1 Criticas da falta de rigor cientifico sobre avaliacao do risco alergenico, 388

2.2 Criticas a falta de rigor cientifico sobre avaliacao do risco toxicologico, 390

3 Falta de rigor científico na avaliação do risco para o meio ambiente (ONAs em especial), 398

4 Polêmicas científicas e campanhas que visam a “atirar no mensageiro”, 403

4.1 Campanhas de descredibilizacao relatadas na literatura cientifica e controle da pesquisa pelas empresas de biotecnologias, 404

4.2 Exemplos de campanhas que visam a “atirar no mensageiro”, 405

4.2.1 Efeitos negativos sobre ONAs: o caso das borboletas Monarca, 406

4.2.2 Disseminacao do milho transgenico no Mexico, 408

4.2.3 Toxicidade associada ao consumo de milho NK603, 410

4.3 Conflitos de interesse e orientacao da Ciencia, 414

5 Embates sociais e segurança alimentar, 417

Considerações finais, 426

Posfácio, 432

Glossário, 444

Sobre os autores, 449

 

Prefácio

 

Pelo quinto ano consecutivo, o Brasil ocupa a posicao de segundo maior produtor de plantas transgenicas no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. A area desse tipo de cultivo ja ultrapassa os 40 milhoes de hectares em nosso pais.

 

O aumento continuo da area plantada com lavouras de soja, milho e algodao transgenicos, e a sucessiva liberacao comercial de novos organismos geneticamente modificados (OGMs), inclusive agora combinados, apontam a importancia de se monitorar seus possiveis impactos sobre o meio ambiente, em geral, e os seres humanos, em particular.

 

Nesse sentido, o Ministerio do Desenvolvimento Agrario (MDA) traz a publico a presente obra, que oferece subsidios a qualificacao de processos de avaliacao de risco associados ao cultivo de lavouras transgenicas e ao consumo de seus produtos e derivados. A publicacao, que se destina a gestores de risco, pesquisadores, profissionais das areas biologicas, juridicas e economicas, bem como aos demais interessados na tematica, resulta de esforco do Grupo de Estudos em Agrobiodiversidade (GEA).

 

O extenso trabalho de sistematizacao contido no livro permitiu reunir referencias de artigos cientificos disponibilizados em fontes variadas, disponiveis para consulta via Internet, em sites de publicacoes cientificas ou bancos de dados. As referencias apresentadas correspondem a estudos publicados por pesquisadores independentes em revistas e periodicos indexados. Grande parte dos artigos esta acessivel para leitura gratuita e download.

 

 * Documento completo en PDF

 

– Gilles Ferment, Leonardo Melgarejo, Gabriel Bianconi Fernandes, José Maria Ferraz

DEJA TU COMENTARIO

Por favor ingrese su comentario!
Por favor ingrese su nombre aquí