Volta e meia à questão da saúde publica é criticada na televisão e embora pareça caótica não é nenhuma novidade para o povo freqüentador dos hospitais públicos diariamente. O SUS deveria ser renomeado para SUSTO o médico sumiu.

As autoridades com seus aumentos no orçamento, mas nada disso parece surtir alguma diferença, pois qualquer pessoa normal hojendia foge desses hospitais e não por motivos pseudologicos e sim reais. Você entra de um jeito e provavelmente sai pior.

Na entrada dos postos de saúde placas dizendo:

Não há emergência

Não há remédios

Não há médicos.

As denuncias envolvendo supostas ausências de plantonistas não precisariam ser objeto de susto, ou talvez seja, apenas por uma pequena parcela da sociedade que não depende desses serviços, pois quem necessita sofre desse mal há muito tempo.

Tempo demais.

Os mecanismos de reclamação e defesa da população precisam urgentemente ser reajustados e transparentes (ao menos esses serviços) para dar condições ideais para o melhoramento desse sistema bem como punir os responsáveis por desvios de conduta e dinheiro publico

Os planos de saúde são uma fortuna e muitos se assemelham com os serviços públicos. O abismo que separam eles é bem menor do que se imagina.

A População da periferia sofre ainda mais pela distancia dos locais, e existem poucas informações para a realização de diversos exames.

Médicos com um mau atendimento por que ganham mal e muitos outros profissionais com bolsos fixos nos salários e olhos ao longe do paciente.

A saúde é um bem do povo exigido pela constituição, todavia alguns exames simplesmente não existem pelo sistema único e apenas em clinicas particulares o paciente o encontra ou (quando não possui capital) a morte.

A demora na marcação das cirurgias.

Paciência Zero.

O descaso do governo.

Paciência Zero.

Remédio para tudo médico nunca.

Paciência Zero.

Parece roteiro para filme, mas ninguém tá rindo dessa tela pintada de sangue a décadas.

Ou as autoridades resolvem ou o povo se revolta.

DEJA TU COMENTARIO

Por favor ingrese su comentario!
Por favor ingrese su nombre aquí